A campanha Abril Marrom, que tem como objetivo a prevenção e o combate às diversas espécies de cegueira, surgiu em 2016, inspirada no Dia Nacional do Braille, comemorado em 8 de abril. A cor marrom foi escolhida pois a maioria da população tem essa cor nos olhos.

O Abril Marrom é um alerta a sociedade sobre a importância do check-up oftalmológico para a manutenção da saúde ocular e prevenção e controle das principais doenças que podem levar à cegueira: glaucoma, catarata, Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) e retinopatia diabética. Vamos saber um pouco mais sobre essas doenças?

Lembre-se de se consultar sempre com o oftalmologista.

Glaucoma

O glaucoma é a principal causa de perda irreversível da visão por ser uma doença silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas. Quando surgem os primeiros sinais, os riscos de cegueira já são grandes. A doença acontece quando o nervo óptico começa a apresentar danos.
Lentamente, vão surgindo “pontos cegos” que só serão percebidos quando o dano já for considerável. A perda de visão é gradativa. O problema pode ser evitado ou estabilizado pelo controle da pressão intraocular, que quando
aumentada representa o principal fator de risco, e também o único modificável. Infelizmente, os sintomas são irreversíveis, ou seja, o tratamento do glaucoma visa apenas a impedir a progressão da doença sem restabelecer a visão perdida. Além do tratamento clínico com colírios, vêm surgindo novas opções cirúrgicas para controlar a pressão intraocular.

Catarata

A catarata é a perda de transparência do cristalino (a lente natural dos olhos). Com isso, a visão vai embaçando aos poucos, como se estivéssemos enxergando através de um vidro sujo ou turvo. Pode evoluir até a pessoa enxergar apenas vultos e luzes, ou mesmo ficar cega.
A causa mais comum da catarata é a idade, chamada de catarata senil. Existem ainda as cataratas secundárias, associada a diversos fatores. Diabetes, traumas, cirurgias oculares prévias, radioterapia, uso de alguns medicamentos e muita exposição ao sol podem causar cataratas de instalação rápida e em pessoas mais jovens. O único tratamento para catarata é a cirurgia.

DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade)

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) ocorre quando há dano em uma parte da retina chamada mácula. Causa a perda progressiva da visão central impossibilitando a visão de detalhes. Muitas vezes a pessoa não sabe que tem DMRI até ser examinada por um oftalmologista. A doença ocorre geralmente após os 60 anos de idade e tem como fatores de risco, o tabagismo, dieta rica em gorduras saturadas, obesidade, hipertensão arterial, história familiar, entre outros. Existem dois tipos de degeneração macular: a seca e a úmida. A DMRI seca é a
mais comum, representando cerca de 80% dos casos. Causa perda progressiva e lenta da visão central. Já a DMRI úmida ocorre devido ao aparecimento de vasos anormais, debaixo da retina, que sangram, vazam líquidos e causam cicatrização na mácula. Forma mais agressiva e rápida da doença. A prevenção e o tratamento da Degeneração Macular Relacionada à Idade são realizados através da ingestão de vitaminas, antioxidantes e do uso de óculos com proteção UVA e UVB. Além de especial atenção aos fatores de risco evitáveis. Controlar a dieta, a ingestão de gorduras saturadas, não fumar, e cuidar da hipertensão arterial corretamente. Para a forma úmida, existem novas formas de tratamento envolvendo a injeção de medicamentos dentro do olho, que podem surtir grande efeito. Em geral, os danos à visão central são irreversíveis, mas a detecção precoce e o acompanhamento médico adequado podem ajudar no controle da doença.

Retinopatia Diabética

A doença ocorre em portadores de diabetes. O excesso de glicose no sangue danifica os vasos sanguíneos da retina, causando dilatações, vazamentos, obstruções e sangramentos. É uma doença assintomática no início. Por isso, as pessoas com diabetes precisam estar bem atentas
e visitar regularmente o oftalmologista para realizar o exame de mapeamento de retina. É preciso também que se consultem periodicamente com o endocrinologista para melhor controle do diabetes, principalmente através da adoção de hábitos de vida saudáveis, com dieta e exercícios físicos. O tratamento da retinopatia diabética será realizado de acordo com o estágio da doença. Terapias como fotocoagulação a laser e injeção intravítrea de antiangiogênicos são essenciais para o controle da doença, contribuindo para interromper ou atenuar os sintomas de perda visual. No entanto, estágios avançados da doença podem levar a cegueira irreversível.